sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Artista cria uma nova árvore que produz 40 tipos diferentes de frutas por ano

Sam Van Aken, professor de arte da Universidade de Syracuse, EUA, cresceu em uma fazenda da família antes de correr atrás de seu sonho de ser artista.


Agora, ele resolveu unir o seu conhecimento do passado com o de sua profissão para desenvolver sua incrível árvore que produz 40 tipos de frutas diferentes.

Em 2008, Van Aken descobriu que um pomar situado na Estação Experimental Agrícola do Estado de Nova York estava prestes a ser fechado devido à falta de financiamento. Este único pomar chegou a produzir variedades antigas e raras de frutas de caroços. Algumas de até 200 anos de idade.

Foi então que ele resolveu comprar o pomar, com o intuito de cultivar e preservar essas raras variedades de frutas de uma forma diferente. Van Aken passou alguns anos tentando descobrir como enxertar partes das árvores em uma única árvore frutífera.

Trabalhando com um grupo de mais de 250 variedades de frutas de caroço, Van Aken desenvolveu um método em cronograma que fazia cada espécie florescer se relacionando com outra, realizando, simultaneamente, enxertos na estrutura da raiz. Após a árvore experimental completar dois anos, a equipe usou uma técnica chama “chip de enxerto”, adicionando as variedades em ramos distintos. Esta técnica envolve a retirada de um pedaço de uma árvore de fruta, com sua semente, inserindo-o em uma incisão na árvore experimental.

Após cerca de cinco anos e vários ramos enxertados, sua árvore estava completa. Foi criada assim a árvore de 40 frutas, que se parece com uma árvore normal na maior parte do ano, mas na Primavera revela um mosaico impressionante de flores rosas, brancas, vermelhas e roxas, que, no verão, se transformam em uma matriz de ameixas, pêssegos, damascos, nectarinas, cerejas, amêndoas, etc.

Não só é bonito de se ver. A árvore está ajudando a preservar a diversidade de frutas de caroço do mundo.

Frutas de caroço são selecionadas para cultivo comercial baseadas, primeiramente, no tempo que elas se mantêm, o quão grande elas podem crescer, como serão suas aparências e, por fim, pelo gosto. Isto significa que existem milhares de variedades de frutas produzidas apenas com intuito comercial, quase como uma linha de produção, que são viáveis para o comércio, mas deixam a desejar para os consumidores.

Van Aken já plantou 16 árvores de “40 frutas”, até agora, já sendo até plantadas em museus, centros comunitários, e coleções de arte privadas por todo território dos EUA. Ele agora planeja cultivar um pequeno pomar dessas árvores em um cenário da cidade.

A pergunta que permanece é o que acontece com todos os frutos que são colhidas destas plantas?

"Eu tenho dito para pessoas que têm [a árvore] em sua casa, que ela fornece a quantidade ideal de variedade de frutas, com qualidade perfeita. Então, ao invés de ter uma árvore que te inundará de um único fruto em crescimento acelerado, vale mais a pena ter essa que produz 40 variedades diferentes, em épocas específicas e diferentes para cada tipo", disse Van Aken, em entrevista a Lauren Salkeld, do Epicurious.


Fonte: ScienceAlert 
Foto: Divulgação / Sam Van Aken


AÇÚCAR é "POTENCIALMENTE TÓXICO”, mais evidências apontam

Uma nova pesquisa publicada na revista JAMA Internal Medicine, revela que a ingestão do açúcar adicionado em alimentos como refrigerantes, cereais e bolos, tem efeitos além dos que nos fazem engordar. Ele também pode aumentar de forma significativa nosso risco de morrer por doença cardíaca.


De acordo com o estudo, se você receber mais de 25% de suas calorias diárias a partir de alimentos e bebidas com adição de açúcar, você tem o triplo do risco de chance de morrer de doença cardíaca. Até mesmo o consumo moderado é desagradável; 10 a 25% por dia, aumenta o consumo calórico de risco cardiovascular em 30%. Isto significa que ingerir apenas uma bebida açucarada por dia é suficiente para aumentar o risco de doenças cardiovasculares mortais. Uma lata de Coca-Cola, por exemplo, contém 35 gramas de açúcar e 140 calorias.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, devemos limitar o adicional de açúcar para cerca de 10% do total de nossas calorias diárias. Mas o estudo, liderado por Quanhe Yang dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças em Atlanta, revelou que 71,4% dos adultos dos EUA consomem mais do que a dose recomendada.

Para chegar nessas conclusões, os pesquisadores analisaram dados da Pesquisa Nacional de Saúde e Exames de Nutrição sobre rastreamento de mortalidade (NHANES), que foi realizado em etapas, entre 1988 e 2010. Os dados foram extraídos de mais de 43.000 casos individuais, e comparados com a mortalidade por doença cardíaca durante um período típico de cerca de 14 anos, onde foram registrados um total de 831 mortes relacionadas a problemas cardiovasculares.

De acordo com Laura A. Schmidt, professora de política de saúde na UC San Francisco School of Medicine, o açúcar é visto cada vez mais como uma substância tóxica. "Estamos no meio de uma mudança de paradigma na pesquisa sobre os efeitos do açúcar na saúde, um alimento consumido em taxas muito elevadas pelo povo americano”, disse.

A pesquisa se refere a todos os açúcares utilizados em alimentos processados ou preparados, tais como bebidas adoçadas com açúcar, sobremesas à base de cereais, sucos de fruta, sobremesas lácteas, doces e pães de fermento. Essa taxa não corresponde aos açúcares naturais, como os presentes em frutas e seus sumos.

"É uma lista de açúcares, que inclui açúcar regular, xaropes de milho, mel e xarope de bordo. Em termos de composição, os principais culpados incluem bebidas esportivas (37%), sobremesas, tais como os pudins (14%), bebidas de frutas (9%), sobremesas lácteas (6%) e doces (6%)”, relata a pesquisa.

Fonte: Io9 
Foto: Reprodução / Life2pointoh.com